Terapeuta Emocional dá dicas importantes para se ter um relacionamento saudável e duradouro

 Aprenda como fazer das diferenças existentes na vida a dois, a sua moeda de troca.

 Muitos são os casais apaixonados por esse mundo à fora, mas como fazer pra manter a chama dessa paixão sempre acesa? Essa é uma dúvida que persegue a cabeça e o coração da maioria dos casais. Muito se fala sobre como apimentar uma relação para que ela não caia na rotina, mas pouco se sabe de fato, se só essa pimenta dará conta do recado. 

 A terapeuta emocional e especialista em terapia de casais Cidinha D’Agostino afirma que, além da pimenta existem outros ingredientes essenciais para se construir e nutrir um bom relacionamento. Baseada nas Identidades Emocionais de cada um, a terapeuta ensina como eles podem se entender e a partir das necessidades que cada um tem, eles descobrem como lidar melhor com as diferenças. “Primeiro eles precisam entender como cada um funciona. Cada um tem um sistema diferente do outro, e que se eles por ventura resolverem trocar  de ‘par’, eles vão encontrar as mesmas dificuldades e as mesmas diferenças, porque isso faz parte de um sistema. Quando há esse entendimento entre ambos, eles tiram do pessoal, daí acaba ficando mais fácil de  compreender o lado do outro e suas vontades e necessidades", afirma a terapeuta. 

 Cidinha explica ainda, como funciona esse sistema existente nos homens e nas mulheres e as diferenças de cada um: "A mulher, por exemplo, tem uma mente mais imaginativa, já o homem é mais idealista. Então a mulher sempre cria algo na cabeça dela. Ela espera, fica na expectativa que ele repare que ela cortou o cabelo, que ela está usando uma roupa diferente, que está mais magra, ela fica esperando aquele elogio, ela tem necessidade de se sentir aceita e atendida, isto faz parte do sistema dela, é da natureza da mulher. Já o homem está mais apegado em outros fatores, ele tem necessidade de superar e não gosta de ser chamado atenção na frente de outras pessoas, não gosta de se sentir diminuído ou rebaixado, ele precisa se sentir respeitado  e acolhido, essas são as características principais do funcionamento do sistema masculino. Quando o casal compreende como é de fato, o funcionamento de cada um, eles aceitam o jeito de cada um  e as diferenças que existem entre eles e assim aprendem a lidar com isso com uma naturalidade bem maior”,  diz D’Agostino.

Segundo a terapeuta emocional se o casal está junto e mantém uma relação sólida é  porque são iguais, ”Só os afins se atraem, e ai as pessoas têm o costume de falar: ‘nossa, mas um é totalmente diferente do outro’, mas  é preciso saber que a base é idêntica, o jeito que eles viram a vida na infância é o mesmo, porque se não fosse, eles não estariam juntos. Se eles são  diferentes em gosto, em postura, em alguns comportamentos, a diferença pode ser vista como algo bom, podendo trazer inúmeros benefícios ao casal, eles precisam aprender a fazer da diferença uma moeda de troca, o que sobra em um, o outro vai se  beneficiar e, quando o casal entende que  isso é possível há uma  mudança extremamente considerável na relação”, complementa Cidinha.

De acordo com a terapeuta, os casais precisam de fato conhecer a fundo os gostos, as necessidades e o que faz cada um deles feliz. Para isso, seguem algumas dicas e características importantes das mulheres e dos homens, para que assim, ambos possam tornar a vida do outro, mais plena e agradável:

Dicas:

Mulher: Entenda que o homem precisa de fato gostar daquilo que vai fazer. Não se chateie quando ele, por ventura, não trocar a lâmpada queimada logo no seu primeiro pedido. Saiba também que ele não pode se sentir preso, fique atenta a isso pois, ele é corajoso o suficiente diante de novos desafios, mas saiba também que quando as coisas não saem como ele havia planejado ele vai em busca de proteção, ou seja, da sua proteção! 

Homem: Elogie sua mulher, note suas mudanças e não questione se ela comprou mais dois pares de sapatos novos, procure compreender, pois isso faz parte das  necessidades femininas. Quando ela te ligar no meio daquela reunião, atenda, não a deixe aflita, lembre-se: ela vai imaginar mil coisas e vai continuar ligando até você atender. Saiba também que a mulher tem necessidade de solucionar qualquer situação, portanto tenha paciência  diante de uma DR interminávelsaiba também que  quando a mulher se sente pressionada, ou que algo esta pesando sobre ela, ela sai do prumo , fica instável e em busca de algo que dê segurança a ela, portanto esteja pronto para ser seu porto seguro!

  Cidinha D’Agostino - é terapeuta emocional e está disponível para dar entrevista. Ela pode falar sobre os mais variados temas relacionados ao comportamento humano, sobre o funcionamento da mente, relacionamentos, o poder da mente e do pensamento, sobre doenças e as mais variadas síndromes do século.  Cidinha lançou seu primeiro livro recentemente, “Ter ou Ser eis a nova questão”, no qual ela apresenta uma técnica inédita, desenvolvida por ela, denominada de  Terapêutica Emocional, cujo maior objetivo é apresentar ao individuo o poder de sua mente e como usá-la a seu favor. 

A técnica desenvolvida por Cidinha D´Agostino e a abordagem trabalhada  no livro foram reconhecidas como inéditas no mundo pela Fundação Biblioteca Nacional, que representa o Brasil no ISBN -  International Standard Book Number, sistema que identifica numericamente os livros.

Acesso ao Sistema



Depoimento

 João Augusto Rodrigues Moitinho é advogado e consultor  jurídico, graduado pela UNESP, estudioso da física quântica, comenta o livro Ter ou Ser, eis a nova questão.
 

O Livro

 O livro “Ter ou Ser... Eis a nova questão”, apresenta uma técnica inédita, denominada Terapêutica Emocional, em que trabalha a busca do equilíbrio e da harmonização proporcionados por novos conceitos e crenças gerados pelo indivíduo a partir do conhecimento  de sua Identidade Emocional, seja ela Ter ou Ser.

Leia mais...